Maria Beatriz Furtado
Eventos
Artigos
Eventos
UFC 230 - Pós

UFC 230 - Pós

O UFC em Nova Iorque já começou com um bom card preliminar.

Brasil teve 100% de aproveitamento.

ufc230res.jpg

Logo abrindo a noite, tivemos a volta do Pezão, afastado por 18 meses pela Usada, após ter provado sua inocência no caso. Voltou de fato repaginado, com um bom wrestling, e levou todos os rounds por decisão unânime.

A luta entre Shane Burgos e Kurt Holobaugh foi rápida, mas emocionante. Kurt foi para cima e derrubou Burgos, que encontrou a oportunidade para achar o braço do adversário e aplicar uma bela finalização, ainda no primeiro round. 

Lando Vannata e Matt Frevola fizeram uma baita luta, com entrega total de ambas as partes. Os dois deram e aguentaram muita pancada, e no fim das contas, a luta até deu empate. Vannata tem seis lutas no UFC, com quatro bônus. 

Lyman Good levou Ben Saunders à lona em menos de 2 minutos de luta. 

Segundo brasileiro da noite, Sheymon Moraes arrasou também e fez uma guerra bem sangrenta com o duro Julio Arce e no final levou por decisão dividida.

Iniciando o card principal, Israel Adesanya conseguiu o feito de nocautear Derek Brunson logo no primeiro round, garantindo seu lugar no top e mantendo sua invencibilidade. Agora são quinze lutas com sucesso na carreira.

David Branch foi surpreendido por Jared Cannonier após um primeiro round vencedor, e um segundo começando bem. De repente uma reviravolta aconteceu e Cannonier, que aceitou a luta com apenas duas semanas de antecedência, o derrubou, nocauteando em seguida. Muita zebra.

E o nosso Jaca hein? Tenho que confessar que fui no Weidman por decisão. E, de fato, o primeiro round até caminhou pra isso, com ele acertando mais golpes e predominante na luta. Mas no segundo, Jacaré já veio melhor, mais agressivo. Aí no terceiro ele resolveu entrar pra liquidar e não ter dúvidas: com um golpe que derrubou o americano, ele nem continuou indo para cima, esperou que o árbitro parasse a luta, mas ele não parou e Weidman logo agarrou sua perna, ainda no chão, e depois bastaram alguns pequenos golpes para que a luta fosse sim interrompida. Foi inclusive comentado sobre o respeito que o brasileiro teve neste momento. Nenhuma novidade, vindo dele. Ainda quebrou o paradigma de caçador de brasileiros...

Enfim, na luta principal não houve surpresas. Daniel Cormier defendeu seu cinturão dos pesados com grande facilidade, expondo a falta de técnica de Derrick Lewis, dominando o primeiro round e o finalizando no segundo. Embora seu tamanho não favorecesse (era até engraçado ver DC tentando quase que escalar Lewis), suas habilidades claramente falaram mais alto e garantiu seu atropelo sobre a fera negra. Jon Jones de lado, seu próximo alvo é o gigante Brock Lesnar. Aquela super luta básica! Mesma situação: tamanho x técnica. 

Confira os resultados completos: 

CARD PRINCIPAL

Daniel Cormier venceu Derrick Lewis por finalização aos 2m14s do R2

Ronaldo Jacaré venceu Chris Weidman por nocaute técnico aos 2m46s do R3

Jared Cannonier venceu David Branch por nocaute técnico aos 29s do R2

Karl Roberson venceu Jack Marshman por decisão unânime (30-26, 30-26 e 30-27)

Israel Adesanya venceu Derek Brunson por nocaute técnico aos 4m51s do R1

CARD PRELIMINAR


Jordan Rinaldi venceu Jason Knight por decisão unânime (30-27, 30-25 e 30-26)

Sijara Eubanks venceu Roxanne Modafferi por decisão unânime (triplo 30-27)

Sheymon Moraes venceu Julio Arce por decisão dividida (29-28, 28-29 e 30-26)

Lyman Good venceu Ben Saunders por nocaute a 1m32s do R1

Matt Frevola x Lando Vannata foi julgada empate majoritário (29-28 Frevola, 28-28 e 28-28)

Shane Burgos venceu Kurt Holobaugh por finalização a 2m11s do R1

Marcos Pezão venceu Adam Wieczorek por decisão unânime (triplo 30-27)

Maria Beatriz Furtado
Paulista, bancária se aventurando no mundo da escrita, sobre um assunto que tanto gosta,MMA, com a maior espontaneidade possível.