Maria Beatriz Furtado
Eventos
Artigos
Eventos
Pós UFC 228

Pós UFC 228

Mais um evento para a conta, já começamos com um bom card preliminar, com a maioria das lutas terminadas antes de soar o gongo.

A primeira luta feminina, entre Aldana e Pudilova, não foi uma dessas mas foi uma verdadeira guerra. Luta merecedora de bônus, até acabou em decisão dividida.

Jim Miller conseguiu uma vitória necessária, depois de quatro derrotas consecutivas. Ele só não foi mandado embora por ser quem ele é, com uma enorme bagagem no MMA. Deu show e finalizou Alex White logo no primeiro round. Merecido!

Sterling chocou a todos ao derrotar Stamann com uma finalização por chave de joelho, raríssima de se ver no MMA. Os amantes da arte suave dirão que foi linda. Mas deu aflição só de olhar.

Card principal já começou com tudo. Esperava uma boa luta, mas não tão rápida assim. Com poucos segundos Abdul, que entrou com a música do Rei Leão , descolou um nocaute sem nem deixar Nico raciocinar, antes mesmo de tentar ir pro chão, se fosse o caso.

O veterano Jimmie Rivera ganhou como na maioria de suas vezes, por decisão dos juízes. Luta morna, confesso que deu um pouco de sono. Acho que a velocidade de Dodson não estava tão em evidência.

E o monstro russo mais uma vez "mitou" e foi na onda de Sterling , com a inovadora chave de joelho. Nunca acontece, e de repente vai duas vezes no mesmo evento! Zabit confirmou seu favoritismo e reforçou sua superioridade no octógono, avançando mais na sua trilha.

"Já acabou, Jessica?!" Logo no primeiro round, a Bate Estaca atropelou a polaca conquistando um belíssimo nocaute, tirando o seu rumo. Arriscou pedir ali mesmo o cinturão para o chefe que estava assistindo na platéia. E aí, Dana?

Enfim, a luta principal chegou. Posso declarar aqui minha tristeza? Confesso que torci até o fim agonizante do britânico, que por sinal foi bem longo. Antes de dar os três tapinhas, Till sofreu bastante. No primeiro round não conseguiu se encontrar e o campeão impôs seu jogo, amarrando como de costume. Mas ainda no início do segundo, Woodley conseguiu colocar seu desafiante para baixo e aí, meus amigos, foi só "sofrência", com direito à cotoveladas, amassadas, prensadas, enfim, tudo que era possível até sair a finalização. Aliás, arrisco dizer que o método foi bem inesperado, mesmo considerando o fato de que o campeão incontestável agora é  faixa preta de jiu jitsu também. Till agora conheceu o gosto da derrota na carreira e admitiu logo após a luta que não tinha desculpas e ainda declarou que Woodley é um dos melhores de todos os tempos.

Confira os resultados completos:

CARD PRINCIPAL

Tyron Woodley venceu Darren Till por finalização no R2

Jéssica Bate-Estaca venceu Karolina Kowalkiewicz por nocaute no R1

Zabit Magomedsharipov venceu Brandon Davis por finalização no R2

Jimmie Rivera venceu John Dodson por decisão unânime dos jurados (duplo 30-27 e 29-28)

Abdul Razak Alhassan venceu Niko Price por nocaute no R1

CARD PRELIMINAR

Tatiana Suarez venceu Carla Esparza por nocaute técnico no R3

Aljamain Sterling venceu Cody Stamann por finalização no R2

Geoff Neal venceu Frank Camacho por nocaute no R2

Darren Stewart venceu Charles Byrd por nocaute técnico no R2

Diego Sanchez venceu Craig White por decisão unânime dos jurados (triplo 30-27)

Jim Miller venceu Alex White por finalização no R1

Irene Aldana venceu Lucie Pudilova por decisão dividida dos jurados (duplo 29-28 e 28-29)

Jarred Brooks venceu Roberto Sanchez por decisão dividida dos jurados (duplo 29-28 e 28-29)



 

 

Maria Beatriz Furtado
Paulista, bancária se aventurando no mundo da escrita, sobre um assunto que tanto gosta,MMA, com a maior espontaneidade possível.