Cintia Lessa Lima Cancellier
DIÁRIO EFICIENTE
Artigos
DIÁRIO EFICIENTE
Dia Atípico

Dia Atípico

07 de dezembro de 2018

Hoje meu treino foi bem diferente. Geralmente eu treino sob a supervisão de um dos meus personais (Rose, Eder ou Vitor), sempre muito bem orientada...(nossa, que chique hein, três professores!!!)..... Mas hoje, aconteceu o inesperado..sem personal!!  O que eu fiz? Treinei sozinha é claro! Em casa, para ser mais específica, no meu quarto..é, meu quarto, com diz o Eder, daqui a pouco teremos até um ringue aqui nesse quarto, de tanta coisa que tem. Eu até tento deixar arrumadinho sabe, mas é difícil fazer com que este quarto fique com cara de quarto , se temos luvas de boxe, manoplas (da Rose), bolas, ataduras, mini band, caneleiras, uma escadinha de agilidade...tudo isso em cima da cama elástica..aff!  Já ia esquecendo, do meu colchonete, step e cicloergômetro....!!

É um tanto quanto estranho, mas não posso deixar de fazer, certo? Então, olho para  os meus brinquedinhos e penso em todas as aulas que tenho e tento fazer um mix.....rsrsrs...brincadeira!

Comecei com a parte aeróbica, pedalando numa tensão até que respeitável, e suei bastante até completar meus 25 minutos. Como eu comprei uma caixinha de mini band  terça feira na Decatlon (meu atual vício), coloquei acima dos joelhos para treinar o Avanço (com resistência, o que me obriga a forçar o joelho para fora), ou se quiser lembrar do jiu-jitsu (a entrada da baiana).

Depois, como não tenho barra no meu quarto, uso a mesa mesmo para continuar com a soltura de quadril, fazendo movimentos de rotação interna, jogando um pé de cada vez pra frente e para o meio. Um exercício bem importante para aumentar a mobilidade.

Em seguida realizei exercício de equilíbrio e fortalecimento de glúteo médio!!  Essencial na minha vida ! Vou explicar: o glúteo médio é um músculo fundamental para o  equilíbrio. Enquanto uma perna está avançando no passo, o glúteo médio (contra-lateral) tem que contrair pra sustentar o quadril ...dá pra entender? Resumindo, é um músculo importantíssimo para nossa estabilidade, durante a marcha e apoio unipodal! Então Cintia vamos para o exercício!!

Com o mini band novamente acima dos joelhos, em pé, fiquei em apoio unipodal (poucos segundos)l, abduzindo ao quadril oposto (elevando lateralmente a perna oposta) e me mantendo em uma perna com a contração da musculatura a ser trabalhada. Repeti algumas vezes em cada lado, tentando manter o máximo de tempo que meu belo equilíbrio me permite! Mas uma hora vai...(creio eu) kkk.

E agora, o momento mais esperado, peguei o meu colchonete (Decatlon é claro) e o meu step (mercado livre, graças ao meu amigo Eder) e fui para o chão!!

Comecei com movimentação que aprendi (teoricamente  pelo menos com o Vitor), para fazer o Giro de Quadril. Fico em quatro apoios, com minha cabeça e antebraço apoiados no step, e joelhos lateralmente no colchonete. Então o objetivo é jogar as duas pernas de um lado para o outro. Meu Deus, parece tão fácil quando lembro do meu professor fazendo...ele voa de um lado para o outro!! E eu parece ter um imã gigante no meu corpo que me puxa pra baixo...mas vamos lá! Na quarta repetição já estava escorrendo suor.( é bom que emagreço).

Depois de suar um bocado, fiquei de quatro apoios novamente, sem step desta vez, cruzando a perna atrás  e na frente e jogando o quadril pro lado oposto...uma tentativa de saída de quadril para passagem de guarda.

Não satisfeita com o suor, deitei de barriga pra cima com as pernas para o alto (fazendo muita, mas muita força com o  abdômen pra me sustentar) e comecei a fazer a rotação interna de quadril, jogando uma perna por cima da outra, até não aguentar mais...

Toda essa energia que eu gasto com tanto esforço me faz sentir músculos que teoricamente eu já sabia que eles existiam (estudei muito anatomia) ,mas que pareciam estar adormecidos há muito tempo.

O que eu quero dizer com isso? O que já falei em outro artigo: que variar os estímulos, além de novas experiências, pode despertar partes do nosso corpo que estão precisando de um toque diferente.

Nada disso que eu faço é fácil, pelo contrário, é muito difícil você ser constante desde criança e saber que terá de ser assim sempre. É como imaginar que terá um adversário por dia, sem categoria de peso, altura, alcance, nada disso, um verdadeiro vale tudo mesmo!  Que não termina em rounds ou minutos, às vezes demora muito, mas de alguma forma você tem que vencer. E esses treinos me dão ferramentas novas, para criar estratégias e ganhar desses diversos adversários.

 

Agora vamos descansar, porque amanhã tem mais!

Cintia Lessa Lima Cancellier
39 anos,fisioterapeuta, Mestre pelo IAMSPE (área de neuro-reabilitação ), autora do Livro - Exercícios e Posturas para o paciente com sequela de AVC e outras doenças neurológicas. Especialista pela Santa Casa de Misericórdia em Fisioterapia neuro-múscoloesquelética. Pós Graduada pela Gama Filho em Fisioterapia Cardiorrespiratória.
Atleta amadora !