Seiichi Hissamura
Eventos
Artigos
Eventos
Contender Series Brasil - Episódio1

Contender Series Brasil - Episódio1

contender%20ep%201.jpeg

"Peneirão do Dana", o programa que servirá como uma chance para que lutadores em ascensão e outros que já passaram pelo UFC, terem, uns a sua primeira oportunidade, e outros, uma segunda chance, estreou nesta última sexta-feira (24), e já teve logo de cara, quatro contratados pelo todo-poderoso Dana White, que será assistido durante as lutas por Rodrigo Minotauro, e pelos matchmakers Sean Shelby e Mike Maynard.

The Contender Series Brazil é a versão brasileira do "Tuesday Night Contender Series", programa exibido nos EUA que alavancou alguns lutadores ao UFC. Serão 3 episódios com 5 lutas cada um, exibidos pela franquia Globo (Combate, SporTV e o resumo após o Zero1, programa nerd/geek). O programa lembra o TUF mas sem a parte do reality show, e todas as lutas são regulamentadas pela NSAC (Comissão Atlética do Estado de Nevada, principal responsável pela oficialização das lutas do UFC).

Na primeira luta, tivemos Marcos Conrado, que estreou no MMA no ano passado, e Augusto Sakai, já conhecido internacionalmente, experiente, e da dura equipe do Noguchi. No começo da luta, parecia que seria bem mano-a-mano, mas percebendo que seu lutador tinha a vantagem da experiência e melhor condições físicas, o treinador de Sakai pediu para ele entrar na luta, e obedecendo, o curitibano apertou o ritmo e colocou seu adversário em perigo, acertando um bom golpe em uma tentativa de queda de Conrado, que sofreu o primeiro knockdown. O goiano conseguiu se levantar, mas foi durante atingido por socos de Sakai, e foi salvo pelo gongo. Já castigado pelo 1o round, Conrado voltou "moído" para o 2o round, e foi presa fácil para Sakai, que abriu a sua caixa de ferramentas e obrigou o árbitro a interromper a luta por TKO (nocaute técnico) aos 3m09. 
Acho que a experiência, aliada ao melhor treinamento e condicionamento físico de Sakai, foram determinantes para o resultado.

A seguir, as meninas estrearam o programa, com Sarah Frota enfrentando Maiara Amanajas, luta que era uma espécie de "revanche", já que elas tinham se enfrentado no começo do ano em um evento na Índia, com Sarah finalizando Maiara ainda no 1o round. 
E dessa vez, não foi diferente: Sarah Frota, após acertar em cheio ótimos socos, venceu a luta aos 3m36 do 1o round, em meio a uma trocação franca, na qual teve uma mira melhor. Maiara, duramente acertada no meio dessa trocação, passou a lutar no automático, e a ser seguida acertada, virando a tradicional "passageira da agonia", desabando e dando a vitória por TKO para a compatriota goiana.
Acho que aqueles 2s de percepção de que levou a pior, durante a luta, fizeram a diferença para Maiara, que se tivesse tentado um clinch, por exemplo, poderia ter tido algum tempo para se recuperar, ao invés de continuar na trocação franca no automático, tomando cada vez mais golpes.

Antonio Arroyo e Diego Henrique lutaram a seguir, e Arroyo, carateca fã de Lyoto Machida, fez bonito e sobrou na luta, aplicando diversos chutes plásticos e dois achi-barai (popular "banda" ou "rodo") em Diego, que além do prejuízo em pé, ainda teve um ponto descontado ao acertar cotoveladas na nuca de Arroyo em uma das situações no solo. Mas confiante no resultado da sua performance ao longo da luta, Arroyo "amarrou" a luta a 30s do final, travando Diego na grade sem contundência nenhuma, apenas gastando o tempo, e dos vencedores desse primeiro episódio, foi o único a não ser contratado. Pra mim, esse foi o fator determinante. Arroyo foi impecável durante a luta toda e, a 30s do final da luta, deveria ter impressionado ou com uma bela queda, ou com um chutaço a la Van Damme que definisse a luta o carimbasse o seu contrato frente a Dana, que todos sabem que não gosta de "enrolação" na luta.

Novamente as meninas entraram no octógono, agora com Mayra Bueno enfrentando Mayana Kellen, na luta mais curta da noite. Mayra apagou Mayana aos 1m02 iniciais com um apertado triângulo de mão, num vacilo de Mayana que até pegou bem o tempo de chute da adversária, mas parece que não teve tanta confiança e ímpeto para dar a queda, deixando o pescoço vulnerável, e ao invés de subir para tentar aliviar a pressão do triângulo de mão, quis insistir em descer para continuar a queda, e assim, não resistindo a pressão da finalização, perdeu os sentidos ali mesmo.

A última luta foi a minha preferida, e me desculpem, mas vou puxar a sardinha pro meu lado porque, meus amigos e amigas, já dizia o velho ditado "só o jiu-jitsu salva"!
Rogério Bontorin e Gustavo Gabriel fizeram a luta mais eletrizante do episódio, onde no primeiro round, ambos os lutadores acertaram bons e duros golpes na luta em pé, continuando no segundo round, até Gustavo acertar em cheio um potente overhand em Bontorin, que a partir daí, ficou completamente grogue e lutou na raça e no automático, ainda soltando jabs e diretos na tentativa de parar Gustavo, que partiu para liquidar a fatura. Mas ao encurtarem a distância, Bontorin viu a oportunidade de agarrar seu adversário e, aplicando um belíssimo suplê (queda de wrestling), levou a luta para o solo, pegou as costas de Gustavo, que mesmo conseguindo se levantar, acabou sendo pelo pela sequência de Bontorin que após "mochilar", fez a lição de casa e pegou o pescoço em um justo mata-leão, em uma incrível e emocionante reviravolta, que fez Dana White e Minotauro aplaudirem em pé o final da luta!
Na minha opinião, a afobação de Gustavo em nocautear Bontorin, a falta de aplicação de golpes certos para a situação, fizeram Bontorin ter uma breve leitura do que poderia ser feito, além, é claro, da inegável raça e coração.

E assim encerramos esse primeiro episódio de The Contender Series Brazil, pessoal!
Semana que vem estaremos de volta com o segundo episódio, não deixem de comentar o que estão achando do programa!

Até lá! Oss!

 

Seiichi Hissamura
Paulista, ex atleta profissional, treinador de lutas e artes marciais. Responsável pelas análises técnicas.